Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 22h:03

Tamanho do texto A - A+

CARNAVAL COM GRANA: Estado paga funcionalismo e aposentados do Executivo nesta sexta-feira; servidores dos demais Poderes já receberam

Redação

Ao anunciar a quitação da folha dos servidores do Poder Executivo nesta sexta-feira (9), sem escalonamento por faixas salariais,  o Governo do Estado põe fim na apreensão de funcionários temerosos de que só receberiam seus proventos depois do Carnaval.. A confirmação ocorreu na tarde de ontem (8), quando o Fórum Sindical se reuniu com o secretário da Casa Civil Max Russi (PSB).

“Estamos fazendo esforços para honrar a folha salarial e também os outros compromissos, como pagamento de dívidas e custeio da máquina, por isso precisamos da união e compreensão de todos neste momento para a criação de um Fundo de Estabilização Fiscal”, disse o governador por meio de nota.

Com a folha líquida de janeiro, o Executivo injeta R$ 435,5 milhões na economia. O pagamento só foi possível após o empenho da equipe econômica ter se esforçado para garantir o fluxo de caixa suficiente para honrar o pagamento dos salários dos servidores.

O secretário de Fazenda Rogério Gallo aponta que o fechamento de toda a folha, sem a necessidade de estabelecer o pagamento por faixas salariais, é reflexo de ações importantes. “A entrada de receita tem gradualmente melhorado por conta da deflagração de medidas de combate aos grandes sonegadores”, avaliou.

Do total da folha de janeiro, R$ 158,971 milhões foram destinados ao pagamento dos aposentados e pensionistas, sendo que R$ 90,761 milhões, ou 57% tiveram que ser completados com recursos do caixa do Tesouro. A complementação do valor vem ocorrendo todos os meses em virtude do deficit financeiro previdenciário.

“O pagamento dos salários dos servidores é prioridade porque hoje os recursos não são suficientes para honrar com todas as despesas públicas, como custeio das secretarias e investimentos”, reafirmou Gallo.

“Estamos indo atrás dos inadimplentes e sonegadores, o que tem contribuído e muito para aumentar a receita, mas nesse momento necessitamos de um esforço maior, e de todos, porque as despesas públicas não cabem dentro do caixa do Tesouro Estadual”, disse Gallo, ao se referir à necessidade da criação do Fundo de Estabilização Fiscal.

PODERES - Esta semana o governo também repassou os R$ 25 milhões remanescentes dos encargos incidentes sobre a folha salarial dos Poderes e órgãos autônomos. Ainda não foi repassado parte do duodécimo referente ao custeio do mês de janeiro. Na sexta-feira (02), as instituições já haviam recebido R$ 119,1Com informações do Diário de Cuiabá