Sexta-Feira, 01 de Julho de 2011, 06h:25

Tamanho do texto A - A+

Polícia trabalha com a hipótese de crime de execução para explicar morte de empresária

MULHER RECEBEU DOIS TIROS NA NUCA E CHEGOU AO HOSPITAL SEM VIDA

O assassinato da empresária Sandra Regina Gatay Pacheco Dib, de 37 anos, ocorrido ontem à noite por volta das 21 horas, em Rondonópolis, está sendo considerado, pela polícia, como crime de execução.

Dois homens em uma moto Fan preta pararam ao lado do Renault Clio Sedan em que Sandra estava e um deles disparou três tiros contra a empresária, sendo que dois acertaram a nuca. Os homens não esboçaram, segundo testemunhas, qualquer reação de que se tratava de um assalto, fato que esta levando a polícia a concluir, preliminarmente, de que se trata de execução e cujos motivos ainda são desconhecidos.

Conforme fontes policiais, as investigações prosseguem na busca de identificar suspeitos, cujos rostos não foram vistos pelas testemunhas do assassinato. Até a manhã desta sexta-feira, ninguém ainda havia sido identificado como suposto assassino ou condutor da moto.

Sandra é proprietária de uma loja de automóveis e foi assassinada quando dava carona para uma funcionária, que não foi atingida pelos disparos. O crime chocou a cidade de Rondonópolis, por se tratar de pessoa conhecida. A empresária é esposa do advogado criminalista e empresário Samir Dib.

Sandra chegou a ser atendida pela equipe médica do SAMU, mas chegou ao Hospital Regional sem vida.

Redação com informações do Primeira Hora