Domingo, 15 de Abril de 2018, 21h:49

Tamanho do texto A - A+

DE CONDOMÍNIO DE LUXO À PENITENCIÁRIA FEMININA: Presa medica que, embrigada atropelou e matou trabalhador e não socorreu vítima

Redação

A médica Letícia Bortolini que atropelou e matou o vendedor de verduras Francisco Lúcio Maia na noite deste sábado na avenida Miguel Sutil, próximo ao bairro Novo Terceiro, teve a sua prisão em flagrante conevrtida em preventiva.

 

A decisão foi lavrada neste domingo e é da juíza Renata do Carmo Evaristo, plantonista deste final de semana na custódia.

 

Letícia foi autuada pelos crimes de homicídio culposo no trânsito, embriaguez ao volante e omissão de socorro. Com a decretação da preventiva, ela foi conduzida ao presídio feminino de Cuiabá.

Na decisão, a magistrada destacou que os  crimes imputados a médica tem pena restritiva de liberdade. Além disso, pontuou que é o fato dela ser médica agrava ainda mais a situação por não ter prestado socorro a vítima.

 

“Deste modo, superada a demonstração da materialidade e presentes os indícios de autoria, chega-se à inferência de que a ordem pública será abalada se a autuada for posta em liberdade, ante o modus operandi empregado à prática delitiva, onde demonstra, per si, a personalidade criminosa da ré, tenho que sua prisão deve ser decretada, com fim de assegurar a ordem pública”, diz a decisão.

A médica Letícia Bortolini, 37, foi presa na noite de ontem pelo atropelamento do vendedor de verduras Francisco Lúcio Maia, 48, na noite deste sábado (14), na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá.  Os policiais chegaram a ela porque uma testemunha do atropelamento seguiu o veículo até a entrada de um condomínio de luxo no bairro Jardim Itália. Ele acionou os policiais, que se deslocaram a  região e localizaram o carro, um Jeep Compass, danificado.

Após a localização, a médica e o marido foram levados para a Central de Flagrantes de Cuiabá, assim como o veículo. Letícia assumiu estar dirigindo o veículo.