Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 21h:37

Tamanho do texto A - A+

MOTIVO DE ORGULHO: Cientista brasileira entra na lista dos 100 mais influentes da revista 'Time'

Redação

 

CELINA

 

A cientista brasileira Celina Turchi, especialista em doenças infecciosas da Fiocruz Pernambuco, entrou na lista das 100 personalidades mais influentes do mundo, divulgada nesta quinta-feira, 20, pela revista norte-americana Time. 

 

Celina foi uma das responsáveis por descobrir a relação entre a microcefalia e o vírus da zika. Na lista da Time, Celina aparece na categoria "Pioneiros". O levantamento, divulgado anualmente pela revista, inclui personalidades da política, da área de negócios, artes e esportes, separadas por setores nos quais se destacaram. 

 

A brasileira já havia figurado entre os dez cientistas mais importantes de 2016 em um levantamento divulgado pela revista britânica Nature. 

 

Na revista Time, o perfil de Celina foi redigido por Tom Frieden, ex-diretor do Centro de Prevenção e Controle de Doenças Infecciosas (CDC), dos Estados Unidos. No texto, Frieden descreve Celina como alguém "apaixonada, focada e um modelo de liderança global e colaboração necessárias para proteger a saúde humana". "(Ela) trabalhou sem parar, perdendo refeições e tempo de sono para descobrir o que estava acontecendo. Entendeu que havia uma crise que requeria colaboração global." 

 

Para as pesquisas sobre o zika e a microcefalia, Celina entrou em contatos com cientistas de todo o mundo e pediu ajuda. Ela formou uma força-tarefa de epidemiologistas, especialistas em doenças infecciosas, pediatras, neurologistas e biólogos especializados em reprodução. "Nem no meu pior pesadelo eu imaginei uma epidemia de microcefalia em bebês", lembrou a pesquisadora em entrevista à "Nature" à época da divulgação da lista da revista britânica, dizendo acreditar que o Brasil estava vivendo uma emergência de saúde pública com o surto da doença.