Segunda-Feira, 06 de Novembro de 2017, 19h:43

Tamanho do texto A - A+

Ibovespa sobe 0,53% impulsionado por preços de commodities

Redação

O bom desempenho das commodities foi essencial para a alta desta segunda-feira, 6, do Índice Bovespa.

Em um dia de agenda política e econômica esvaziada, a valorização dos preços do petróleo e do minério de ferro garantiu o avanço das ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas.

Esses papéis compensaram a fraqueza das ações do setor financeiro e contribuíram para levar o Índice Bovespa a uma alta de 0,53%, aos 74.310,79 pontos.

Os negócios com ações na B3 somaram R$ 9,3 bilhões.

Os preços do petróleo tiveram altas superiores a 3% e atingiram os maiores níveis em dois anos, refletindo notícias da prisão de ministros e líderes da Arábia Saudita, que também interceptou um míssil que se dirigia à capital, Riad, no fim de semana.

Além disso, houve perspectiva de redução significativa na produção da Líbia.

Impulsionadas pela alta do petróleo e de outras petrolíferas pelo mundo as ações da Petrobras subiram 2,20% (ON) e 2,89% (PN).

No noticiário relativo à empresa, também foi destaque a notícia de que o governo vai criar uma comissão oficial de negociação para revisar os termos do contrato de cessão onerosa.
A ação ordinária da Vale foi outro destaque da carteira do Ibovespa.

Com alta de 2,39%, o papel refletiu o avanço de 5,80% dos preços do minério de ferro no porto de Qingdao, na China.

A alta foi generalizada nos mercados de metais básicos, influenciados pela alta do petróleo, queda do dólar e expectativas otimistas para o setor, baseadas em previsões de crescimento da economia mundial.

Assim, também foram destaque as ações de siderurgia, como CSN ON (+5,26%) e Usiminas PNA (+6,23%).

Outro setor de destaque no dia foi o elétrico, com Eletrobras ON (+5,28%) e PNB (+5,40%) à frente.

Segundo Monteiro, da Renascença, os papéis vêm demonstrando forte volatilidade, muitas vezes em função das expectativas em torno da programação para privatização da Eletrobras.
Nesta segunda, o presidente Michel Temer alinhou com a cúpula do governo e da Eletrobras que a proposta de privatização será enviada ao Congresso por meio de dois Projetos de Lei, e não uma Medida Provisória.

A ideia, acertada com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é que seja apresentado um requerimento para a adoção do rito de urgência urgentíssima.

A queda do dólar teve efeito essencialmente positivo no mercado de ações, mas não deixou de penalizar os papéis de empresas exportadoras.

Entre as ações que fazem parte da carteira teórica do Ibovespa, as maiores quedas foram de Fibria ON (-5,45%) e Suzano PNA (-4,98%).