Terça, 20 de agosto de 2-14, 00h17
FOGO CRUZADO
FUZILARIA: Estão em estado grave bebê de 6 meses e mulher feridos a bala durante tiroteio na UPA provocado por bandidos que tentavam resgastar preso


Redação

 

Durante tiroteio entre bandidos que tentavam resgatar um preso e agentes penitenciários que o conduziam para consulta médica, duas das cinco pessoas baleadas dentro da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Morada do Ouro, em Cuiabá, na tarde de ontem (13), estão em estado grave.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Cuiabá, estão em estado grave o bebê V.H.C.M., de apenas seis meses, e uma mulher identificada como Dayane da Silva Romão, de 33 anos.

 

O bebê foi atingido na mão e no tórax. Segundo a assessoria, ele passou por um procedimento cirúrgico na tarde de ontem para fazer a sutura da mão.

Os médicos aguardam sua recuperação para avaliar a necessidade de retirar ou não o projétil do tórax.

O quadro clínico da criança é agravado pelo fato que, além dos ferimentos a tiros, o bebê está com pneumonia, motivo pelo qual aguardava atendimento médico na UPA.

Já a mulher, que foi atingida no tórax ambém passou por um procedimento cirúrgico de drenagem no abdômen.  

Os demais feridos - o agente prisional Dirley de Pinho Pedro, de 34 anos, com dois tiros na perna; a enfermeira Rosemeire Sousa da Silva, de 51, com um disparo na perna, e Estefani Camargo Santos, 22, mãe do bebê - passam bem.

Conforme a assessoria, a enfermeira inclusive já recebeu alta.

Na manhã desta quarta-feira (14), a secretária de Saúde Elizeth de Araújo avaliou a necessidade de uma estrutura diferenciada para atendimento médico de reeducandos na Capital.

“Na verdade nós já estávamos conversando com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos  Humanos (Sejudh) sobre essa demanda desde o ano passado. Mas, claro, agora depois de tudo isso, teremos que tomar uma medida urgente”, disse.

“É preciso garantir atendimento médico aos reeducandos dentro das penitenciárias e só deslocá-los para as unidades de saúde de fora em caso de emergência”, explica.

Prosseguindo, ela diz que “nesse caso em questão, por exemplo, não havia necessidade de deslocamento do reeducando. A Polícia vai investigar, mas tudo indica que foi armado. Tanto que ele foi avaliado na UPA e recebeu alta”, afirmou.

A secretária informou que o atendimento no local já está normalizado, mas a preocupação é com o retorno da equipe que estava de plantão no dia do tiroteio e deve retornar ao trabalho amanhã (15).

“Estamos disponiblizando atendimento pisicológico para esses profissionais, tendo em vista o abalo sofrido no momento da invasão da UPA por bandidos fortemente armados”, relata

 
ENTENDA O CASO

A ocorrência lembra e não deixa nada a dever, em termos de violência e ousadia dos bandidos, casos semelhantes ocorridos nas favelas e regiões mais violentas do Rio de Janeiro

Eis o saldo do banditismo: quatro pacientes e um agente prisional baleados na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Morada do Ouro, em Cuiabá, na tarde desta terça-feira (13) já foram identificados.

Eles foram alvejados quando bandidos invadiram o local na tentativa de resgatar um preso que fazia tratamento no local.

As vítimas foram socorridas e estão internadas, sendo que algumas delas sofreram ferimentos graves, conforme é o caso de um bebê de apenas seis meses que levou um tiro nas costas.

O agente prisional Dirley de Pinho Pedro, 33, foi atingido com dois tiros na perna. O estado dele é considerado estável.

A criança Vítor Hugo Camargo Martins, de apenas 6 meses, também levou 2 tiros, sendo um nas costas e outro na perna. A mãe dele, Estefani de Camargo Santos, 22, foi alvejada no braço esquerdo.

As outras duas baleadas são Dayana da Silva Romão, baleada no tórax, e a enfermeira Rosimere Sousa da Silva, 51, atingida na perna.

TIROTEIO

De acordo com informações, na tarde desta terça-feira, um detento do presídio do Carumbé foi levado a UPA para receber atendimento médico. Pouco depois, bandidos entraram no local com intuito de resgatá-lo.

Testemunhas disseram que eles já chegaram atirando. Pacientes que estavam na UPA se desesperaram.

O tiroteio aconteceu quando o preso retornava da chamada sala de classificação, que é onde a equipe médica avalia a urgência do caso para encaminhamento médico. Ali trabalha a enfermeira que se feriu.

Os bandidos tentavam resgatar José Edmilson Bezerra Filho, de 31 anos, que está preso na Penitenciária Central de Cuiabá. Apesar da ação dos comparsas, ele não foi resgatado. Por outro lado, quanto a versão do resgate existe controvérsias; A policia também trabalha na linha de investigação de que os bandidos foram à UPA para executar Edmilson porque ele teria matado um membro da facção Comando Vermelho.

No final da tarde de ontem, o clima era de tensão na unidade, que interrompeu o atendimento após o tiroteio. "Os atendimentos devem ser suspensos. Já mandamos os funcionários para casa, porque estão todos abalados", disse a secretária de Saúde, Elizeth de Araújo.

 

Policiais militares de diversos batalhões se deslocaram a região. Eles fazem um cerco na tentativa de prender os criminosos.


Fonte: Página Única
Visite o website: http://www.paginaunica.com.br